quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A força de um só discípulo

Os ensinamentos de Jesus Cristo são tão poderosos que, se apenas um ser humano colocá-los em prática, eles provocam uma reação em cadeia incapaz de ser detida. Ela só pode ser estagnada, se todos os que participam desta cadeia forem mortos.
Um discípulo de Cristo está a serviço do Reino de Deus e ele conhece as condições para a construção deste reino. Um discípulo de Cristo não convive com a injustiça, com a violência, com a exploração, com a destruição da natureza, com a poluição das águas ... Ele tem as soluções e grita aos quatro ventos e não se cala, enquanto não se faz ouvir. E quando se faz ouvir, passa a incomodar muita gente e então ganha forças; e se não for expulso da terra constrói um reino eterno.
A concretização do Reino de Deus está próximo. A semente já foi lançada e espalhada pelo mundo todo, já correu o tempo para que ela pudesse crescer e formar os grãos. Vem agora a fase final e definitiva: a colheita. "Um é o que semeia e outro, o que colhe." Falta apenas um passo, tão pequeno para um homem, mas tão grande para a humanidade. Este passo consiste basicamente no seguinte: Um homem renuncia a tudo o que possui por causa do reino de Deus e ele impõe para quem quiser segui-lo a mesma condição "Qualquer um de vós, se não renunciar a tudo o que possui, não pode ser meu discípulo (Lc. 14,33)". Este fato aconteceu há dois mil anos, provocou uma reação em cadeia e abalou um império. Você imagina o que significa mais de mil adeptos num só dia, depositando as suas posses diante dos apóstolos? (At. 4,34-35) Isto fez tremer o Império Romano, que só conseguia conquistar terras na base da espada. Estes cristãos foram perseguidos, caçados, dispersos, mortos. Os romanos não cessaram de persegui-los até quebrar o elo que alimentava a cadeia (Lc. 14,33). Quebrando este elo, eles mesmos, os romanos, tornaram-se "cristãos". Mas que espécie de cristão é este, que continua se valendo da espada? Não só não renuncia a tudo o que possui, senão que continua invadindo terras, desalojando os mais fracos? "O sal é uma coisa boa, mas se vier a perder o seu sabor, com que haverá de recuperá-lo?(Lc. 14,34)"
O resultado está aí. Mais de dois bilhões de cristãos. O mundo se acabando e não há nenhum esboço de reação. "O sal não servirá nem para a terra nem para adubo, mas lançar-se-á fora." (Lc. 14,35)
Tudo isto, no entanto, faz parte da história. Era necessário. Agora, basta um pequeno passo de um só homem e o sal recobra o seu sabor. Dá-se início a uma nova reação em cadeia, mas desta vez será impossível detê-la.

3 comentários:

  1. Graça e paz!
    “Andando” por aí cheguei até o seu Blog e quero te parabenizar pela bênção que pude ver aqui.
    Já estou te seguindo e aos poucos venho conhecer mais os seus textos.
    Será uma honra te receber no pastoragente.blogspot.com, e se quiser segui-lo vai ser uma alegria pra mim.
    No blog conto da forma mais realista e divertida possível as realidades, dúvidas e experiências de uma simples pastora como eu.
    Fique na paz. Um abraço.

    ResponderExcluir
  2. Descobrimos que somos Anjos de Regate, né mesmo? Isso prova que fomos iluminados, não por qualquer luz, mas pela Luz, e salgados não por qualquer sal, mas O Sal. Somos verdadeiros anjos sim, para resgatar os feridos, machucados. E faço isso primeiro onde meu braço alcança, nos pobres mais pobres, mais próximos e depois pela net aos outros. As ovelhas mais feridas e desgarradas de meu Pai. Boa caminhada. Começou muito bem! Parabéns! E todas as bençãos do céu prá você. Abraço fraterno. Lourdes Dias.

    ResponderExcluir
  3. Shalom!

    Uma alegria conhecer seu blog. O Eterno
    Resplandeça o rosto DELE sobre ti.

    Medite no Salmo 36.8,9

    Nele, Pr Marcelo

    P.s>> Visite:

    http://davarelohim.blogspot.com/

    e veja a inédita entrevista com

    o Pr Geziel Gomes. Vale a pena ler!

    ResponderExcluir